expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Sessão de autógrafos do Rebeldes acabou virando em tumulto


   Muitos fãs foram ao encontro dos RebeldeS na sessão de autografo no Rio de Janeiro, o que não esperava é que cinco mil pessoas fosse comparecer no local, e isso acabou virando um tumulto mas nem todos conseguiram chegar perto dos artistas. Muitos fãs passaram mal.
        — Minha filha foi pisoteada. Ela desmaiou, e pisaram no braço e na barriga dela. Não conseguimos autógrafo, nem foto — contou a recepcionista Rosângela Marques Bandeira, de 39 anos, enquanto aguardava a filha de 12 ser atendida no posto médico.

Passava das 19h, duas horas depois do marcado, quando quatro integrantes da banda chegaram à sala reservada para autógrafos. O atraso aumentou a insatisfação do público.
      — É muita falta de consideração. Cheguei às 9h, com cinco meninas, e me disseram que eu só conseguiria autógrafo comprando CD. Comprei cinco. Não conseguimos nada — disse a dona de casa Luciana da Silva Luiz, de 30 anos.
De acordo com um dos produtores do grupo, André Pacheco, só houve atraso por segurança do público:
      — Só entramos quando sentimos que era possível evitar transtornos.
Segundo a assessoria do shopping, o lugar não estava preparado para receber tanta gente porque não foi informado das promoções para o evento realizadas pela banda.


    No Facebook do Jornal Extra, alguns fãs que estiveram no local deixaram seus depoimentos:
“Foi horrivel. Enfrentei tudo que podia até não aguentar mais, mas infelizmente não deu. Estava lá atrás, consegui chegar na grade, mas começaram a empurrar de um lado e os seguranças de outro. Depois de muito tempo no empurra empurra comecei a passar mal com falta de ar, comecei a chorar porque não estava mais aguentando e tive que desistir. Fomos embora pela saída de emergência!” - Lizandra Oliveira


“Muita falta de respeito! Não tinha coisas organizadas. Isso é um absurdo! Eu passei mal e os segurançaas não queriam saber de nada. Eu só fui pra ver os Rebeldes, mas acho isso um absurdo, os seguranças estavam botando as pessoas que nem estavam na fila lá para dentro”, desabafou Thaina Sampaio, no Facebook.
Em fevereiro de 2006, três pessoas morreram e 42 ficaram feridas num tumulto numa sessão de autógrafos da banda mexicana RBD (que deu origem aos Rebeldes Brasileiros) no supermercado Extra, no Shopping Fiesta, em São Paulo. O lugar tinha capacidade para duas mil pessoas. Cinco mil estavam lá para ver os artistas.




Um comentário:

  1. Fui lá com minhas filhas e sobrinhas, cheguei por volta das nove da manhã e sai era mais de dez horas da noite, sai sem nenhum autógrafo, uma bagunça geral, total falta de respeito com os fãs, centenas de crianças chorando pelos corredores do shopping, inclusive as que eu levei, um absurdo, estou cansada, com dor de cabeça, com os pés pisoteados, e as crianças desconsoláveis, pra que tentar organizar um evento desse tamanho se não tem nenhuma estrutura. Fica aqui a minha revolta.

    ResponderExcluir